08/09/2016

Resenha: Passarinha

  e arquivado em    



No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. 
Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. 
Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária. 


O que escrever de um livro que te tocou profundamente a alma??
Passarinha
Conta a vida de Caitlin ,uma menina autista,autista e asperger ,que é um tipo de autismo menos grave do que( minha filha khadija possui)
Caitlin, mora com o pai e acabou de perder o irmão em tragédia.
Ela sente muita falta do irmão,e ao mesmo tempo por ser autista e ter dificuldades de expressar seus sentimentos,sofre pela pouca falta de comunicação adequada com o pai e na escola.
E como é a vida de autista na escola?? tudo menos fácil!! Pois eles tem outra leitura do nosso mundo,sem maldade,sem covardia e falsidade.
Caitlin ,assim como minha filha segue programas para desenvolver empatia e educação adequada,e consegui por esse livro entender o quanto eles sofrem por não entender nosso mundo.
Como todo autista ela tem algumas preferências ,como comer pizza as quintas e desenhar muito bem!! ela ama um filme especificamente ,assim também é com minha filha...porém o filme preferido da Caitlin é o Bambi.

Ela perdeu a mãe ainda muito pequena,e através do filme ,isso lhe deu mais entendimento sobre a morte da mãe

Nossa mãe morreu dois anos antes de a gente assistir a Bambi por isso ele devia saber que as mães morrem e nunca mais voltam por mais que a gente chore e chame por elas." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Um dos desafios maiores é:
FAZER AMIZADES!
A grande maioria das crianças e até nós adultos,geralmente rejeitamos aquilo que é desconhecido,diferente e até estranho...Se é que eles sejam...pela minha experiência de vida,acho que nós ditos (normais) que somos estranhos,com todo nosso preconceito e defeitos.
Porém ,não é fácil para ela,e nem pra nenhum autista fazer amizades,pois geralmente são rejeitados por não serem compreendidos .
Caitlin tem uma meta ,traçada ela sua terapeuta: ter amizades!!
E ela vai fundo !!

"Mia e as outras meninas em volta dela começam a dar risadinhas. Tudo bem. Hum. Porque você é... especial. Obrigada, respondo. Mais risadinhas. Eu quis dizer, explica Mia, que você é daquele tipo de especial que é meio esquisito. Esquisito? Mia cruza os braços e dá um suspiro ALTO. Seu comportamento entende? Como assim? pergunto. Ela revira os olhos. Seu comportamento é... bem... perturbador. Perturbador? Meu comportamento é perturbador? O comportamento daquele garoto que deu os tiros é que foi perturbador. Começo a agitar as mãos porque essa palavra me dá muito medo e eu mal posso respirar. Ela olha para as minhas mãos que estão tremendo cada vez mais depressa. Isso mesmo. Perturbador. Eu NÃO SOU perturbadora! Você está perturbando a gente neste exato momento, diz uma das meninas. As outras começam a rir. Gente, gente! diz uma outra menina. Parem com isso! Parem de rir! Ela é autista. Como o William H. Minhas mãos agora estão tremendo muito depressa. Eu NÃO SOU autista! Algumas meninas riem. William não sabe falar. Vocês não estão ME OUVINDO FALAR? Tudo bem mas... William come TERRA e GRITA quando se zanga! EU NÃO SOU AUTISTA! Estou respirando com força e sentindo vontade de sair da minha pele mas trinco os dentes e agito as mãos com mais força e me viro e fujo dali e escuto gritos mas não sei se é a aula de música ou Mia ou eu." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Essa passagem do livro me tocou profundamente! Quando ela é confrontada pelas colegas da escola ,e compreende um pouco como as pessoas a vê...

Ela começa a entender que vive dentro do espectro autista, e neste espectro,existem graus.

"espectro é isso. É uma linha e todos estamos nela. Alguns de nós estão mais avançados nesta linha do que outros. Eu aprendi na aula de artes que o espectro são todas as cores do arco-íris. É mais como um prisma do que uma linha. Ou talvez uma linha grossa com um monte de cores. Não gosto do jeito como as cores se fundem num borrão na arte. Como é que a gente vai saber onde acaba uma e começa a outra? Eu tenho que saber exatamente onde estou no espaço. É por isso que só desenho em preto e branco. A Sra. Brook levanta uma das mãos e corre o dedo quase até a beira da mesa. Você está mais ou menos aqui. Um alto desempenho. Uma grande inteligência. Uma grande capacidade. William H. está na outra ponta, digo. William está mais atrás na linha. Isso mesmo. Seguro as beiras da mesa como a Sra. Brook e fico olhando para o tampo com os olhos franzidos e pensando que ponto EXATAMENTE sou eu. Não quero esbarrar em ninguém. Nunca se sabe o que poderia acontecer." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Resumindo ,esse livro é tocante! maravilhoso! Deveria ser lido por todas as pessoas,pois assim poderíamos ser pessoas melhores e menos julgadoras da outra


  Eu convivo com o autismo em um espectro SEVERO ,a 13 anos !! Minha filha Khadija é minha inspiração e meu maior tesouro,nós assim como Caitlin,trabalhamos duro com socialização ,educação e tarefas diárias ,é duro e também prazeroso aprender com minha pequena passarinha.
minha passarinha

O maior amor do mundo!

Outra lição do livro é sobre o Massacre de Virginia Tech ,que nos dá uma lição preciosa da dor das famílias que perderam seus filhos em um massacre não brutal.

"Este livro foi inspirado na tragédia da Virginia Tech e também na minha necessidade de explicar como é, para uma criança, ser portadora da Síndrome de Asperger. Os dois temas estão relacionados em meu modo de ver, porque creio firmemente na intervenção precoce, qualquer que seja a deficiência. Compreender as dificuldades das pessoas e — igualmente crucial — ajudá-las a compreender suas próprias dificuldades e ensinar-lhes maneiras concretas de ajudar a si mesmas irá, por sua vez, ajudá-las a lidar melhor com suas próprias vidas e, por extensão, com as nossas. Neste romance, a personagem principal tem Síndrome de Asperger mas está recebendo orientação precoce por meio do sistema de ensino público. Ela só conta com o pai e ele está longe de ser perfeito. O irmão era o membro da família que realmente a ouvia, tentava compreendê-la e lhe ensinava habilidades comportamentais úteis. Infelizmente, ele é assassinado na escola, e agora, a não ser pela orientadora, ela está por conta própria. Espero que, vendo o mundo pelos seus olhos, os leitores possam compreender comportamentos aparentemente bizarros. E espero que os leitores sintam que, vendo o mundo pelos olhos de alguém, e realmente compreendendo aquela pessoa, muitos mal-entendidos e problemas podem ser evitados — mal-entendidos e problemas estes que também podem levar a uma frustração crescente e, às vezes, até à violência. Minha Vida Mora ao Lado Fitzpatrick, Huntley 9788565859714" (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Leiam Passarinha e se apaixonem por Caitlin!!
beijos^^



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

3 comentários

  1. Olá, Dayse.
    Esse livro parece ser bem belo e profundo, tocando verdadeiramente o leitor. Ademais, ele tem um papel social fortíssimo, pois pode ajudar na conscientização de muitos leitores.
    Sem dúvidas, uma maravilhosa resenha.
    Obs.: sua filha é uma graça.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de setembro. Serão três vencedores, cada um ganhando dois livros.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Sua filha é linda :) Sem dúvida que é um desafio diário conviver com o autismo, mas também é uma experiência profunda como poucas na vida.
    Essa capa foi uma tradução perfeita do livro em uma única imagem.
    Excelente resenha.

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  3. olá tudo bem?

    adorei a premissa da obra, sua resenha está encantadora, já quero ler esse livros.
    filhos é o bem mais precioso né, sua princesa é linda. adorei a resenha. flor já estou te seguindo pra não perder nada. seu blog é muito fofo. beijos

    Taynara Mello | Indicar Livros
    http://www.indicarlivros.com/

    ResponderExcluir



PRA CIMA!