21/06/2017

funko Black Jack Randall

  e arquivado em    

Um dos maiores vilões de Outlander é o Black Jack Randall!
Ele é um dos ancestrais do marido da Claire Frank Randall.
O personagem é super polêmico,aquele vilão que vc odeia de cara,srsrrs
Então chegou meu Funko do Randall^^
fiquei apaixonada por ele.


 INFORMAÇÕES SOBRE O PERSONAGEM AQUI




09/06/2017

O Dono Do Morro

  e arquivado em    

"O dono do morro é a história impressionante de um homem comum forçado a tomar uma decisão que transformaria sua vida. Como António Francisco Bonfim Lopes, um jovem pai trabalhador, se transformou em Nem, o líder do tráfico de drogas na Rocinha? A partir de uma série de entrevistas na prisão de segurança máxima onde o criminoso cumpre sentença, Misha Glenny narra a ascensão e a queda do traficante, assim como a tragédia de uma cidade. Da inundação do Rio de Janeiro pela cocaína nos anos 1980 à situação atual que embaralha voto, armas, política, polícia e bandidagem, a apuração impecável de Misha Glenny revela cada peça de um complicado quebra-cabeças."

Resenha
"Nem não é nenhum modelo de virtude, mas também não é nenhum demônio. É um homem vivo e inteligente, agora se aproximando dos quarenta anos. Tivesse recebido uma educação decente, não há a menor dúvida de que teria sido um empresário de sucesso sem nenhum registro policial." (from "O Dono do Morro: Um homem e a batalha pelo Rio" by Misha Glenny, Denise Bottmann)

Um livro muito interessante para quem se interessa pelo tema.
Uma grande reportagem,sobre como as quadrilhas do Rio agem e movimentam o negócio mais lucrativo do mundo,que é o tráfico de drogas.
Baseado ,na vida do Nem da Rocinha,que conta sua história de garoto pobre,pai trabalhador e depois o mergulho no mundo do crime.
O que mas é interessante é de como a personalidade de Nem ,era digamos "sensata " e organizada.
Nem ,caiu no mundo do tráfico pelo desespero de ajudar sua filha que sofria de uma doença rara.
Não venho aqui justificar a vida de um dos maiores traficantes do Brasil. Mas ver a história por outro ângulo nos ajuda a entender ,a vida de jovens favelados do Rio de janeiro.
O livro,também conta a história de outros traficantes do alemão,como lulu,saulo e bibi bandida.
Achei a leitura muito interessante,livro muito bem escrito e faz você entender muita coisa sobre as favelas cariocas e o serviço da polícia nessas comunidades.
Super recomendo esse livro.
"caminho que leva os garotos a entrar nessa carreira é bem conhecido. Os guias são indóceis: desemprego, testosterona, consumismo e carência — carência de figura paterna, de escola, de Estado e de um futuro. Na era da globalização, vivem cercados por imagens de glamour e bens materiais. Nas favelas, para muitos só há um caminho para chegar a tais coisas: o dinheiro do tráfico." (from "O Dono do Morro: Um homem e a batalha pelo Rio" by Misha Glenny, Denise Bottmann)

07/06/2017

Série The Leftovers

  e arquivado em    


Quando 2% da população desaparecem abruptamente e sem nenhuma explicação, o mundo todo luta para entender e aceitar o que aconteceu. Terá sido o arrebatamento bíblico, levando os verdadeiros cristãos para junto de Deus no fim dos tempos? Ou um evento sobrenatural simplesmente inexplicável? Três anos depois desse evento traumático, acompanhamos a vida de quem foi deixado para trás, ou seja os “leftovers”.
Baseado no livro best-seller de Tom Perrotta, The Leftovers segue Kevin Garvey (Justin Theroux), um homem com dois filhos e chefe de polícia de uma pequena cidade nos arredores de Nova York. Ele tenta manter uma aparência de normalidade em sua vida, apesar desse termo não se aplicar a mais nada.
A série tem como principal produtor o cocriador de Lost, Damon Lindelof, enquanto o autor da história original, Perrotta, e os produtores de Friday Night Lights, Peter Berg e Sarah Aubrey, também trabalham como produtores-executivos da atração.
Gente,comecei a ver essa série por indicação do meu filho,e me apaixonei por ela.
Muitos a acham cansativa e parada,porém se você não desistir nos primeiros capítulos vai gostar bastante do enredo da série.
Justamente a série se baseia no "ARREBATAMENTO" ,porém,ninguém sabe a explicação para o fato,o que causa muito desapontamento e muitos ,tristeza e também fanatismo religioso.
Os que ficaram e perderam parentes,amigos etc...vivem a terrível angústia de não entender porque não foram também.
Muitos personagens se cruzam ,e começa uma trama muito interessante,de amor,esperança e recomeços.
O que mas gostei na série,foi um grupo que se chamam: REMANESCENTES CULPADOS
Eles usam sempre branco e fumam o tempo todo...
vivem para lembrar as pessoas de seus parentes ,como se eles se sentissem culpados por não terem sido arrebatados.
Gente ,esse grupo apronta muita coisa,rsrsrsrrsrsr
E os protagonistas da série são maravilhosos!! Mas não vou escrever mas nada ,rssrsrs
Se não perde a graça. A série infelizmente só teve duas temporadas na HBO.
Mas valeu muito a pena!
Se puderem,assistam ,pode ser que vocês gostem.
Eu tenho o livro,mas ainda não li.
Eu ainda não me conformei porque acabou,srsrrsrs
Gente e os funkos pop da série já estão em pré-lançamento 





03/06/2017

Nujeen

  e arquivado em    

A emocionante jornada de uma garota que fugiu da guerra na Síria em uma cadeira de rodas e se tornou inspiração para milhares de pessoas em meio a uma tragédia humanitária. 
Escrito pela mesma coautora de “Eu sou Malala”. 

Christina Lamb, premiada jornalista e coautora do best-seller Eu sou Malala, agora conta a história inspiradora de outra notável jovem heroína: Nujeen Mustafa. A angustiante jornada de Nujeen para fugir da Síria devastada pela guerra até chegar à Alemanha é uma história empolgante de força, coragem e esperança que dá um rosto para a grande questão humanitária do nosso tempo: a crise dos refugiados sírios. 

Para milhões de pessoas ao redor do mundo, essa adolescente de dezessete anos personifica o melhor do espírito humano. Com a locomoção limitada à cadeira de rodas devido à paralisia cerebral e sem poder frequentar a escola na Síria por causa de sua doença, Nujeen aprendeu inglês sozinha, assistindo a novelas americanas na TV. Quando sua pequena cidade se transformou no epicentro do combate brutal entre os militantes do Estado Islâmico e os soldados curdos apoiados pelos EUA, em 2014, ela e sua família foram obrigados a fugir. 

Apesar de suas limitações físicas, Nujeen iniciou a árdua jornada rumo à segurança e a uma nova vida. A exaustiva odisseia de dezesseis meses incluiu viagens de ônibus e travessias em botes, através da Turquia e do Mar Mediterrâneo até a Grécia, através da Macedônia até a Sérvia e a Hungria e, finalmente, até a Alemanha. Ainda assim, apesar de todas as dificuldades físicas, o extraordinário otimismo de Nujeen jamais esmoreceu. Ela manteve a cabeça erguida, recusando-se a ceder ao desespero ou a enxergar a si mesma como uma vítima passiva. “Você precisa lutar para conseguir o que deseja neste mundo”, disse a um repórter da BBC. 

A positividade e a coragem de Nujeen permeiam esta história inesquecível de uma jovem determinada a encontrar uma vida melhor para si mesma. Este é um livro de memórias poderoso e único, que retrata a crise dos refugiados sírios, ajudando-nos a entender que o mundo precisa mudar, ao mesmo tempo em que nos oferece a inspiração para transformar essa mudança em realidade.

RESENHA:
"Antes de serem números,essas pessoas são,em primeiro lugar,seres humanos."
PAPA FRANCISCO 
Meu nome é Nujeen,que significa "vida nova"
Nujeen,nasceu com paralisia cerebral,o que afetou seus membros impossibilitando a locomoção .
Ela ,fez cirurgias ,que a ajudou a andar pequenas distâncias com andador.
Nujeen é uma menina síria,curda que sabe bem de perto o terror do estado islâmico e as barbaridades do ditador Bashar al-assad.
Uma menina ,que passou por tanta coisa ,que tem mais vivência que muitos velhos de 80 anos.
Ela foi uma dos milhares de refugiados que fizerem  a travessia RIHLAT-AL-MOOT,ou rota para a morte,que os levariam para a europa.
Ela é curda,e como todos sabem ,os curdos sempre foram rechaçados em todos os lugares,e muitos árabes nem sabem que muitos heróis famosos deles,eram curdos,como SALADINO e YUSUF AL-ASMA.
O livro além de falar sobre o terror da guerra,também mostra como uma jovem deficiente se sente em um mundo tão preconceituoso e hostil com quem é diferente.
Quando ela saiu da síria a vida la ,tinha se tornado impossível .
"É como estar em uma casa em chamas-é arriscado pular pela janela,mas qual é a alternativa ?"
Muito dinheiro e tratamento desumano,foi o que ela e milhares de pessoas passaram fazendo essa peregrinação a Europa .
Tudo para refugiados é o dobro,se um táxi é 200 euros,para refugiados cobravam 600...
"Como refugiados,não é tão fácil conseguir um hotel.Geralmente nos mandam embora ou cobram mais porque não temos documentos.É como se acreditassem que somos criminosos ou pessoas indecentes ,e nós somos iguais a todas as pessoas,só que perdemos nossas casas"
Eu como pessoa,senti muita vergonha da humanidade ,quando li esse livro...vergonha de conhecer pessoas do meu ciclo de amizades que é contra esses imigrantes.
As pessoas,nunca perderam suas famílias,suas casa,suas identidades ,e nunca foram obrigados a mudar de país,para viver em sub-empregos ,mesmo sendo médicos,advogados ,professores etc...
Ninguém saiu da Síria porque queria morar na Europa...eles não tiveram escolha ,ou ia ,ou morria...
e muitos acabaram morrendo só na travessia.
Nujeen me ensinou a não só olhar para as pessoas,e sim se colocar no lugar delas.
Foi um livro que me comoveu muito,é triste saber que coisas assim acontecem ainda hoje.
Vemos e lemos livros sobre o holocausto judeu,e não nos sensibilizamos pelo holocausto que tem acontecido as países árabes.
" Vir para a Alemanha era meu sonho.Talvez eu nunca me torne astronauta.Talvez eu nunca consiga aprender a andar.Mas existem muitas coisas boas nessa sociedade e eu gostaria de misturar com algumas coisas boas da minha cultura e fazer um coquetel.
Vou para a escola cheia de orgulho usando minha nova camiseta amarela com a frase:"garotas adoram unicórnios"e a corrente de prata que ganhei de um astro de TV,e eu posso sonhar.Agora que você leu a minha história espero que consiga ver que não sou apenas um número-nenhum de nós é."
Nujeen





31/05/2017

casos de família

  e arquivado em    

O assassinato do casal Richthofen e de Isabella Nardoni foram reunidos em um só livro e trazem novos detalhes observados por quem estava nos bastidores. A criminóloga Ilana Casoy, em CASOS DE FAMÍLIA: ARQUIVOS RICHTHOFEN E ARQUIVOS NARDONI, abre pela primeira vez seus cadernos de anotações utilizados durante a pesquisa na Polícia Civil, Científica e Ministério Público dos dois crimes, tudo isso com a qualidade quase psicopata de edição, uma marca registrada de todos os títulos da DarkSide® Books.

A pedido da editora, Ilana Casoy mergulhou em suas anotações particulares que está de volta com mais uma luxuosa reedição de suas obras, incluindo os inéditos fac-símiles de seus cadernos secretos. Primeira autora nacional da DarkSide®, Ilana traz para seus leitores o mistério desvendado de comentários originais dela mesma no desenrolar dos acontecimentos e descobertas. Além de acompanhar passo a passo o rumo das investigações e julgamento dos assassinos que romperam a linha da lei e do sagrado, os sentimentos e dúvidas da autora ficam agora expostos ao público.

Em “Arquivos Richthofen” o leitor vai acompanhar o comportamento dos três assassinos — as contradições e os erros decisivos; a distância de Suzane ao relatar os fatos, o descontrole de seu namorado Daniel na reprodução simulada do crime, os depoimentos e técnicas de investigação da polícia, dos médicos legistas, peritos e especialistas, que não deixaram outra alternativa aos culpados que confessar os assassinatos brutais. A grande novidade fica por conta da transcrição inédita do emblemático debate entre acusação e defesa, com o objetivo de oferecer os detalhes do julgamento nunca publicados.

Em “Arquivos Nardoni” o mergulho é em um dos casos criminais mais polêmicos já ocorridos no Brasil, que contou com um qualificado trabalho da polícia técnico-científica — única “testemunha” do crime. Ilana reconstrói os cinco dias do julgamento de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, pai e madrasta de Isabella de Oliveira Nardoni, condenados pelo assassinato dela. A autora foi colaboradora do Ministério Público, que, com a ausência da confissão dos réus, trabalhou com provas periciais irrefutáveis para confrontar a versão do casal no tribunal do júri.

Resenha
Um livro difícil e necessário .
Os crimes que pararam o Brasil . Caso Richthofen e Nardoni.
Quem não lembra a anos atrás ,em todos jornais o caso da menina rica e educada que matou os pais com a ajuda do namorado e do cunhado?
Acho que todos lembram...história hedionda ,cruel e triste.
A autora Ilana Casoy ,nos dá detalhes precisos e únicos ,que só os juristas poderiam ter,com todo desenrolar dos fatos,com fotos da perícia e depoimentos,além de todo julgamento.
Cenas da reconstituição dos crimes etc...
Gente ,eu achei o livro muito bom,porém pesado ,principalmente no caso Nardoni
Quem não lembra da pequena Isabela Nardoni? aquele sorriso lindo estampando os jornais ,e causando uma das maiores comoções que esse país já viveu...
E do lado oposto,a madrasta e o pai que juravam inocência ,em um crime que não tinha como eles negarem a autoria de tão óbvio que era.
Pois é...o livro é chocante,pela frieza dos assassinos ,pelo cinismo e maldade.
Porém,super recomendo o livro,para quem gosta de ler sobre esses fatos.
Livro muito bem escrito.
anotações do caderno da autora
relembram o caso Nardoni AQUI
caso Richthofen Aqui







PRA CIMA!