14/08/2018

o conto da aia

  e arquivado em    



Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, o a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano.



Resenha:

O conto da aia,é um livro perturbador e cruel,porém o considero ele indispensável a todos.
O mundo mudou,as mulheres perderam seus direitos...
a religião toma conta de tudo...
O que restou as mulheres a não ser viver como escravas ?
É uma ficção que chega a assustar ,pela forma que nosso mundo também caminha hoje,com tanto machismo e com governos que querem se basear na religião para governar.
Me envolvi bastante com a leitura e me senti muito no lugar da Offred.
Senti suas dores,medos e incertezas.
A autora é realmente maravilhosa,pois esse livro é fenomenal .
Agora me sinto preparada para ver a série da TV,pois queria ,primeiro passar pela leitura dessa obra fascinante .

05/08/2018

Um Milhão de Finais Felizes

  e arquivado em    

Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais, sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.
Mas é quando ele conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

Resenha

"Na verdade,sou muito ruim em concluir histórias antigas.Na verdade ,sou muito ruim em concluir qualquer coisa."
Jonas é um menino lindo,muito fofo e cheio de vontade de ser escritor.
Trabalha no Rocket Café na paulista ,e tem uma família um pouco complicada.
Jonas é Gay,mas como a maioria das pessoas que nascem em famílias " tradicionais"ele ainda não saiu do armário.
Muitos conflitos na sua mente por causa de toda criação religiosa que teve a vida toda.
Ele tem 3 amigos maravilhosos,daqueles que estudaram juntos a vida toda ,e mesmo depois que a vida muda,ainda mantém um meio de sempre se verem.
Achei o livro muito fofo,triste e também libertador!!
Pois pode ajudar muitos meninos e meninas a se entenderem e ver que ser gay não é algo ruim ou mau.
Um livro que fala de amor,perdas,romance,amizade e recomeços.
Que te mostra que algumas perdas ,são necessárias para seguirmos em frente e sermos felizes.
Vale muito a pena ler,é um livro muito gostoso .
" tenho certeza de que,mesmo passando por tanta coisa ruim na vida,você ainda guarda um milhão de finais felizes aí dentro."

02/08/2018

Garotas de Neve e Vidro

  e arquivado em    

Mina é filha de um mago cruel e sua mãe está morta. Aos dezesseis anos, seu coração nunca bateu apaixonado por ninguém – na verdade, ele jamais bateu de forma alguma, e Mina sempre achou esse silêncio normal. Ela nunca suspeitou que o pai arrancara seu coração e, no lugar, colocara um coração de vidro. Então, quando Mina chega ao castelo de Primavera Branca e vê o rei pela primeira vez, ela cria um plano: ganhar o coração dele, tornar-se rainha e finalmente conhecer o amor. A única desvantagem desse plano, ao que tudo indica, é que ela se tornará madrasta. Lynet tem quinze anos e é a imagem de sua falecida mãe. Um dia, ela descobre a verdadeira razão disso: a partir da neve, um mago a criou à semelhança da rainha morta. 

Mas, apesar de ser a projeção visual perfeita da falecida rainha, Lynet preferiria ser forte e majestosa como sua madrasta, Mina. E Lynet realiza seu desejo quando o pai a torna rainha dos territórios do sul, tomando assim o lugar de Mina. A madrasta, então, começa a olhar para a enteada com algo que se assemelha ao ódio, e Lynet precisa decidir o que fazer – e quem quer ser – para ter de volta a única mãe que de fato conheceu... ou simplesmente vencer Mina de uma vez por todas. Garotas de Neve e Vidro traça a relação de duas mulheres fadadas a serem rivais desde o princípio – a não ser que redescubram a si mesmas e deem novo significado à história que lhes foi imposta. 

Este aclamado reconto feminista do clássico Branca de Neve nos leva a um mundo singelo e, ao mesmo tempo, maravilhoso – como nos contos de fadas. Uma releitura contemporânea para mantê-lo sempre atual e presente.


Resenha


Mina é linda,porém desprezada por todos ,pois é filha de um mago poderoso.
Lynet é uma bela princesa,que leva o peso da morte da sua mãe,já que todos a compraram com ela ,pela semelhança física.
As vidas delas um dia se cruzam,e Mina casa com o pai de Lynet.
As duas então começam a ter uma relação de amizade e amor...apesar que ,Mina se acha incapaz de amar qualquer coisa no mundo.
Algo ,muda entre elas ,quando o pai de Lynet morre ,e Mina se vê ameaçada ,em perder sua coroa para a jovem bela princesa.
Gente...Eu poderia escrever tanto sobre o que achei desse livro...
Porém, só posso escrever que ,esse livro é maravilhoso!!
Um conto de fadas com uma nova cara.
Sem ódio ,eterno,vinganças ,e rivalidade até o fim.
Um livro sobre empoderamento feminino,amor e recomeços.
Um conto de fadas sem príncipes ,e até com um romance LGBT.
Um livro lindo,delicado,gostoso de ler ,e muito bem desenvolvido.
Eu fiquei muito apaixonada pelos personagens,e  fiquei triste porque li tão rápido.
E o final do livro é perfeito!!
Vale muito a leitura.
Eu ameiiiii

26/07/2018

Só Escute

  e arquivado em    

Para encarar a verdade, você precisa estar disposta a ouvi-la.

Ano passado, Annabel era a típica “garota que tem tudo” — inclusive era esse o papel que interpretava no comercial de uma loja de departamentos da cidade. Este ano, porém, ela é a garota que não tem nada: não tem mais a amizade de Sophie; não tem uma família feliz desde a descoberta do distúrbio alimentar de uma de suas irmãs; e não tem ninguém com quem passar a hora do almoço na escola. Até conhecer Owen Armstrong.
Alto, misterioso e obcecado por música, Owen é um garoto que vivia se metendo em brigas, mas agora está tentando mudar. Um de seus novos lemas é sempre falar a verdade, não importa qual seja, e jamais guardar ressentimentos.
Será que com a ajuda desse amigo inesperado Annabel vai conseguir encarar a verdade e enfrentar o que aconteceu na noite em que brigou com Sophie?




RESENHA:

Annabel é a mais nova de 2 irmãs que como ela são modelos.
O livro se passa com Annabel vivendo os conflitos gerados em torno de sua família e sua relação com a amiga Sophie ,que ao longo da estória começamos a desvendar o que aconteceu entre elas duas ,para que a amizade acabasse de forma tão traumática .
Quando Annabel se ver totalmente isolada e cheia de conflitos ,aparece Owen ,um garoto que já passou por alguns problemas ,e tem um gosto exótico por música.
Com sua amizade com Owen ,a vida de Annabel começa a mudar.
Pois ,em todos esses anos ela ainda não tinha enxergado a pessoa que ela era,e o que realmente ela queria para sua vida.
Eu achei o livro muito bem escrito,envolvente e gostoso de ler.
Um livro que nos ensina muitas lições,como prestar atenção na nossa vida,e ver realmente o que queremos para ela.
Super recomendo a leitura. 
É encantador.
"Se não prestarmos atenção no passado,nunca entenderemos o futuro. Está tudo conectado."

22/07/2018

Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente

  e arquivado em    

Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas. Para este livro, foram produzidos textos inéditos que ganharam a companhia das sensíveis ilustrações de Anália Moraes.

Resenhas:


Um livro que fala de dor,perda,vazio e recomeços.
Quando comecei o livro fiquei tão envolvida que ,que não conseguia mais parar de ler.
Mas ,os textos me deixaram bem mal também.
Nunca é fácil ,falar de perdas,de amores antigos,não correspondidos ,despedidas e solidão.
É um livro que infelizmente traduziu muita coisa que está dentro de mim.
Momentos que também passei, textos parecidos com os que eu escrevo nos meus cadernos ,mas não divulgo porque são cruéis demais para serem lidos.
Eu gostei muito do livro,mas alerto também  para gatilho.
Leia se puder ler,não é fácil...
Porém é um livro que também fala de recomeços e esperança.
Vale muito a pena comprar esse livro.
Eu não tenho muito que escrever sobre o livro,pois me sinto muito vazia ultimamente .





PRA CIMA!