20/07/2017

O Trem dos Orfãos

  e arquivado em    


Quando Vivian Daly, uma senhora de 91 anos, decide se livrar de seus pertences antigos ela acaba recebendo a ajuda de Molly, uma adolescente órfã e rebelde, que está disposta a prestar serviços para não acabar no reformatório. Revivendo cada momento marcante de sua história, Vivian conta para Molly sobre sua família irlandesa pobre que foi de barco para Nova York em busca de uma nova vida e acabou morta em um incêndio. Sendo a única sobrevivente, ela foi levada por um trem com outras centenas de crianças que teriam seu destino decidido pela sorte. Seriam elas adotadas por famílias gentis e amáveis, ou teriam de encarar uma infância e adolescência de servidão e trabalho pesado? 

RESENHA

"O Trem dos Órfãos é especificamente uma história americana de mobilidade e desenraizamento, com um destaque pouco conhecido; é historicamente um momento importante no passado dos Estados Unidos. Entre 1854 e 1929, o então chamado Trem dos Órfãos transportou mais de duzentos mil órfãos, crianças de rua e crianças abandonadas, muitas das quais, como a personagem deste livro, foram a primeira geração de imigrantes católicos irlandeses, levando-os das cidades costeiras do Leste dos Estados Unidos ao Meio-Oeste para “adoção”, que por muitas vezes terminou sendo um trabalho escravo. Charles Loring Brace, que fundou o programa, acreditava que o trabalho duro, educação e firmeza, todos acompanhados de uma criação compassiva – sem mencionar os valores familiares cristãos do Meio-Oeste – eram a única maneira de salvar essas crianças de uma vida de depravação e pobreza." (from "O trem dos órfãos" by Christina Baker Kline)

Vivian é uma senhora idosa ,que mora em uma mansão de frente ao mar...Vivian é uma das crianças que viajou no trem dos orfãos a tantos anos atrás...
Molly ,é orfã dos tempos atuais,já morou com várias famílias adotivas,e dispensada delas,como se fosse algo descartável.
As vidas de Molly e Vivian se cruzam ,quando Molly vai fazer um trabalho na casa de Vivian ,e no meio de caixas e recordações,Vivian vai relatando o que ela passou quando perdeu sua família ,e foi mandada em um trem ,para que fosse aceita por alguma família .
O livro é muito triste,e nos dá uma dimensão de como essas crianças sofreram durante aqueles anos nos EUA.
O livro é uma obra de ficção,porém inspirada em fatos reais de sobreviventes dessa triste história americana.


"Quando ela sai, vou inspecionar meu reflexo no espelho, a primeira vez desde que cheguei a Minnesota em que posso olhar num espelho sem manchas e sem estar rachado. Uma menina que mal reconheço olha para mim. Ela é magra e pálida, de olhos sem brilho, maçãs do rosto acentuadas e cabelo ruivo-escuro emaranhado, faces rachadas pelo vento, e um nariz com aros vermelhos. Seus lábios também estão rachados e o suéter, rasgado e imundo. Eu engulo… Ela engole. A garganta dói. Devo estar ficando doente." (from "O trem dos órfãos" by Christina Baker Kline)

É comovente ler o relato de Vivian ,e como as histórias dela e da Molly ,são de certa forma parecidas,mesmo tendo sido passadas em épocas tão diferentes,mais ambas sabem,o que é ser rejeitadas,e maltratadas.

"As coisas que importam ficam com você, infiltram-se em sua pele. As pessoas fazem tatuagens para possuir um lembrete permanente de coisas que amam, ou acreditam, ou temem." (from "O trem dos órfãos" by Christina Baker Kline)

Eu super recomendo a leitura,muito rica em todos os sentidos,um  lado da história americana que eu desconhecia totalmente.

Aprendi há muito tempo que a perda não é apenas provável, mas inevitável. Sei o que significa perder tudo, sei o que é abrir mão de uma vida e encontrar outra. E agora sinto, com uma estranha e profunda certeza, que deve ser o meu destino na vida aprender essa lição vezes e vezes sem conta." (from "O trem dos órfãos" by Christina Baker Kline)



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

2 comentários

  1. Oi ,eu não li o livro, mas conhecia um pouco sobre essa história... E confesso que sou bem covarde para ler relatos assim.
    Principalmente sabendo que de fato esse drama aconteceu, e que envolveu crianças.
    É sempre mais triste!
    E o que dói, é ter quase que certeza que a grande maioria dessas crianças foram maltratadas. E poucas tratadas com carinho. :(

    Um dia ainda vou ler. Mais sei como vou ficar. 😢

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Day!
    Não tinha ouvido falar sobre esse livro ainda e gosto muito de livros de ficção, baseados em fatos reais.
    Deve ter sido uma época muito sofrida e dolorida para as crianças, embora o projeto em si, se fosse realmente levado a risca, era até uma boa ideia.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir



PRA CIMA!