19/04/2019

Suicidas

  e arquivado em    

O PRIMEIRO ROMANCE DO JOVEM AUTOR QUE SE FIRMOU COMO PRINCIPAL NOME DO NOVO SUSPENSE BRASILEIRO.

Antes que o mundo pudesse sonhar com o terrível jogo da baleia azul, que leva jovens a tirara própria vida, ou que a série de televisão 13 Reasons Why fosse lançada e set ornasse o sucesso que é hoje, Raphael Montes, então com 22 anos,já tratava do tema do suicídio entre jovens, com a ousadia que virou sua marca registrada. Em seu primeiro livro, que a Companhia das Letras agora relança acrescido de um novo capítulo, conhecemos a história de Alê e seus colegas, jovens da elite carioca encontra dos mortos no porão do sítio de um deles em condições misteriosas que indicam que os nove amigos participaram de um perigoso e fatídico jogo de roleta russa. Aos que ficaram, resta tentar descobrir o que teria levado aqueles adolescentes, aparentemente felizes e privilegiados, a tirar a própria vida. Para isso, contamos com os escritos deixados por Alê, um narrador nada confiável.




Resenhas:

Mais um livro do Raphael Montes que me deixou completamente apaixonada.
9 jovens se reúnem no dia 7 de setembro para uma roleta russa...
Nove jovens,de classe média do Rio de Janeiro...
O que levou cada um a tomar uma decisão de acabar com a própria vida?
Ao londo do livro você vai acompanhado o relato deixado em um livro escrito em tempo real ,por um dos jovens.
Um livro que te prende,te deixa super curioso ,e que tem um final que nunca imaginei!!
Totalmente impactante !!
Assim ,como todos do Raphael ,esse não deixa a desejar.
Ameeiiiii!!

09/04/2019

Nunca jamais 2

  e arquivado em    

A segunda parte do suspense romântico de tirar o fôlego “Nunca Jamais” Um garoto abre os olhos e sequer se lembra que seu nome é Silas. O telefone toca... “Encontrou ela?”, pergunta a voz do outro lado da linha. Quem é ela? Quem sou eu? Charlie se vê presa em um lugar parecido com quartos de hospital (ou de um manicômio). Também não se lembra de nada, nem sequer do próprio rosto. O tempo passa e ninguém vem salvá-la. Ela precisa escapar por conta própria. Aos poucos, os dois descobrem que vêm perdendo a memória em períodos cíclicos. E também que se amam imensamente. Numa corrida para descobrir a razão dos apagões em suas memórias, Silas e Charlie acabam descobrindo muito mais sobre si e os mistérios que envolvem suas famílias. Mas muito em breve vão esquecer tudo de novo. E precisam estar juntos para evitar o pior.


Meu Deus,o mistério continua ...
Eles continuam com o mesmo problema... perdem a memória e tudo volta a estaca zero.
Dessa vez ,temos algumas pistas sobre o que pode está acontecendo, porém  nada sólido para desvendar esse mistério.
Eu amei esse livro,assim como o primeiro,o problema é que nada é solucionado.
E o jeito é aguardar o terceiro livro ,pra descobrir esse mistério.
"Nunca deixe de querer que eu a abrace como finalmente a abracei ontem à noite. Nunca esqueça que fui seu primeiro beijo de verdade. Nunca esqueça que você vai ser meu último beijo. E nunca deixe de me amar entre todos os beijos que der. Nunca deixe, Charlie. Nunca esqueça."

04/04/2019

Moxie

  e arquivado em    

Vivian Carter está cansada. Cansada da direção da escola, que nunca acha que os jogadores do time de futebol estão errados. Cansada das regras de vestuário machistas, do assédio nos corredores e dos comentários babacas dos caras durante a aula. Mas, acima de tudo, Viv está cansada de sempre seguir as regras. 

A mãe de Viv era dura na queda, integrante das Riot Grrrls nos anos 90. Inspirada por essas histórias, Viv pega uma página do passado da mãe e cria um fanzine feminista que distribui anonimamente para as colegas da escola. É só um jeito de desabafar, mas as garotas reagem. 

Logo Viv está fazendo amizade com meninas com quem nunca imaginou se relacionar. E então ela percebe que o que começou não é nada menos que uma revolução feminista no colégio.





Vivian ,mora em uma pequena cidade do interior,estuda naquelas tradicionais escolas americanas,cheias de meninos babacas que jogam futebol e amam assediar garotas.
Viv,começa a perceber as injustiças cometidas pela escola com as meninas ,e daí ,vem seu despertar para o feminismo.
O livro é muito legal,importante para adolescentes para que comecem a  entender seu lugar de fala no mundo machista que vivemos.
Além de luta, e militância o livro tem coisas muitos fofas também.
Eu super amei tudo.



15/03/2019

A Fome

  e arquivado em    

“Um livro surpreendente, singular, violento, necessário. O texto de Caparrós tem uma força memorável.” — El Mundo

A Fome é um livro construído a partir de histórias de pessoas que trabalham em condições bastante precárias para mitigá-la, daqueles que usam o alimento como meio de especulação financeira provocando fome em muita gente. Para entendê-la e narrá-la, Martín Caparrós viajou pela Índia, Bangladesh, Níger, Quênia, Sudão, Madagascar, Argentina, Estados Unidos e Espanha. Nestes países, encontrou pessoas que, por diferentes motivos — secas, miséria, guerras, marginalização —, passam fome. A Fome tenta, sobretudo, destrinchar os mecanismos que fazem com que quase um bilhão de pessoas não comam o que precisam. Incômodo e apaixonado, é uma crônica que faz pensar, um ensaio que relata e um panfleto que denuncia a pressão de uma vergonha incessante.


"E,entretanto ,o mundo continua aí,tão bruto,,tão espantoso como de costume.Ás vezes penso que tudo isto é,antes de mais nada,feio.
Repugnam a qualquer um as formas de percepção da grosseria de pessoas possuindo,desperdiçando sem pudor aquilo de que outras precisam desesperadamente .Não é mais uma questão de justiça ou de ética,é pura estética.Digo: tentar fazer com que o mundo não continue sendo tão horrível .
A humanidade deveria sentir,pelo que fez com ela mesma,esse desassossego que tem o criador quando dá um passo para tás,olha a sua obra e vê uma porcaria. Eu conheço .
Este é um livro sobre a feiura,a mais extrema que posso conceber. Este é um livro sobre o asco- que deveríamos ter por não tê-lo.
Comecei a ler esse livro e pensar a cada página e capítulo ,em que espécie de seres somos...ou nos tornamos.
Enquanto pessoas morrem de fome no  mundo todo,as vezes até mesmo no nosso bairro,o que a gente faz para ao menos não desperdiçar ?
É totalmente desesperador saber,que a cada minuto que se passa,alguém morre de fome...
Na maioria das páginas o autor coloca a frase:
Como podemos viver com isso caralho?
O livro também nos esclarece muitas coisas,como infelizmente alguns lucram com a fome ,a miséria...
Conhecemos através dele relatos de pessoas de muitos países,onde a fome é algo comum para seus habitantes.
É um livro pesado ,triste ,porém de extrema importância .
Posso dizer que ele mudou totalmente minha visão de mundo.


21/02/2019

A Lógica inexplicável da minha vida

  e arquivado em    

Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida - uma tarefa que parece quase impossível.





Resenha:


Um livro tão lindo,que estou morrendo de saudades de Salvador e sua família linda.
Esse livro nos encanta,nada mais bonito que o poder da amizade,amor e aceitação.
Sally (Salvador) foi adotado aos 3 anos ,e ao contrário da maioria das historias de adoção ,essa é maravilhosa.
Gente ,esse livro foi o mais lindo que li esse ano,me emocionou tanto,me trouxe paz,empatia e me lembrou do quanto nossa família é importante para nós.
Eu gostei demais dessa leitura e recomendo a todos.


PRA CIMA!