17/09/2018

O filho da Feiticeira

  e arquivado em    

Para leitores de fantasia, “O filho da feiticeira” traz a típica jornada do herói
De um menino desvalorizado em sua aldeia até a única esperança de todo o seu mundo, Ned já se acostumou ao seu apelido: o garoto errado. Desde que nasceram, foi sempre o irmão gêmeo, Tam, a estrela da aldeia; o mais habilidoso e querido. Quando decidem construir uma balsa para encontrar o mar, um plano que sai pela culatra, Ned se torna mais que o garoto errado: se torna o único. Agora, Ned é visto como um pária. No entanto, numa reviravolta, ele se transforma no único capaz de impedir que a magia caia nas mãos do ambicioso Rei dos Bandidos. E, para isso, arruma uma insuspeita aliada: Áine, a filha do ladrão. E eles terão de aprender a confiar um no outro se quiserem impedir uma guerra entre dois reinos há muito separados...



RESENHA:

Um livro muito fofo^^ infantil que nos conquista.
Uma história de irmãos gêmeos que são separados pela morte.
Um reino distante ,onde não sabem que existem outras terras,outros povos...
Uma feiticeira que ajuda todas as pessoas com sua bondade e com a magia que ela guarda.
Do outro lado uma menina e seu pai...
Uma menina criada no mar,e que tem a difícil tarefa de conviver com um pai fora da lei.
Todos esses personagens se cruzam ,e a estória fica totalmente encantadora.
Daqueles livros que nos fazem sonhar e nos levam ao mundo da fantasia ,da maneira mais bela possível .Um livro lindo!! super indico.

04/09/2018

A Guerra Que Me Ensinou a Viver (A Guerra Que Salvou a Minha Vida #2)

  e arquivado em    

A Guerra Que Salvou a Minha Vida ganhou um lugar especial no coração dos leitores brasileiros. A história da pequena Ada — que, com seu irmão caçula, deixou para trás sua casa em Londres para escapar dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial — arrancou lágrimas, sorrisos e suspiros na mesma medida. Com o coração repleto de esperança e afeto, a DarkSide® Books orgulhosamente apresenta A Guerra Que Me Ensinou a Viver, a emocionante continuação do livro de Kimberly Brubaker Bradley.

Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan — agora sua guardiã legal — para um chalé em busca de um recomeço. Com a guerra se intensificando lá fora, as adversidades batem à porta: o racionamento de alimentos é uma preocupante realidade, e os sacrifícios que todos devem fazer em nome do confronto partem corações e deixam cicatrizes. Outra questão é a chegada de Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio à calamidade? Mais uma vez, Kimberly Brubaker Bradley conquista com sua narrativa carregada de sensibilidade. Seu registro historicamente preciso revela o conflito armado pela perspectiva de uma criança, além de lançar luz sobre a atual crise de refugiados, a maior desde a guerra de Hitler, que já obrigou milhões de pessoas a deixarem seus lares em busca de paz. Discutindo assuntos delicados com ternura, a autora guia o leitor por uma jornada que mostra a beleza dos pequenos gestos. E, ao revelar as camadas de seus personagens, apresenta uma história sobre amadurecimento e aceitação — principalmente para Ada, que precisa aprender a acreditar. Acreditar em sua família e em si mesma. Na resiliência que vem da dor. Na superação que vem do medo. Na empatia, que reacende a humanidade. E no amor, é claro. Em sua forma mais pura e sincera. A Guerra Que Salvou a Minha Vida foi vencedor de diversos prêmios e adotado em escolas nos Estados Unidos. Agora, A Guerra Que Me Ensinou a Viver chega em uma edição capa dura e cheia de amor, como deve ser. A linha DarkLove ganhou mais um título que deixa marcado na memória que algumas heroínas salvam leitores pelo coração. Corajosa, justa e inteligente, Ada é realmente invencível.


Resenha

"É possível saber um monte de coisas e mesmo assim não acreditar em nenhuma delas."
Depois de anos de sofrimentos com com sua mãe naquele pequeno apartamento,Ada hoje vive em paz com susan e seu irmão.
A vida de Ada muda muito após eles perderem a casa na explosão e ela passa a viver no chalé oferecido a Susan por Lady Thorton e sua família .
O que por um lado é maravilhoso ,pois Ada fica sempre muito feliz quando Maggie volta pra casa nos feriados e férias da escola.
A vida ,não está fácil,alimentos é algo que vale ouro,e todos estão muito enfraquecidos com a fome e fraqueza .
Muitas coisas acontecem nessa nova jornada, Ada ainda segue com muitas marcas no seu coração dos anos de falta de amor e desprezo de sua mãe.
Também ,muitos fatos importantes vão trazer uma grande relação com ela e Lady Thorton.
Continua ,uma estória linda,encantadora e triste.
Porém,com esperança e um final maravilhoso para nossa menina Ada.
"É possível saber um monte de coisas e um dia ,enfim ,acreditar em todas elas."


25/08/2018

O último Adeus

  e arquivado em    

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. 

O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. 

O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.




Resenha:

 "Desculpa, mãe, mais eu estava muito vazio."
Um livro que fala de suicídio.
Um tema pesado e difícil de digerir.
Lexi,acabou de perder seu irmão...e seus pais também se divorciaram...
As coisas andam bem difíceis para ela e sua mãe.
Até que ela começa a fazer terapia e escrever um diário sobre seus sentimentos sobre sua vida e a morte do irmão.
É um livro que trata de um tema sério,de dor,perda ,mas também que nos ensina que podemos recomeçar nossas vidas,mesmo passando por algo tão terrível como um suicídio na família.
É um livro envolvente,bem escrito,que lhe prende do início ao fim.
Eu amei a leitura,me emocionei ,me fez pensar...
Super recomendo esse livro,vai ser impactante aprender um pouco sobre a dor,a perda e o luto.
Vale muito a pena ler.

24/08/2018

Todas as Mulheres

  e arquivado em    

Concebido como um poema de poemas interligados, Todas as Mulheres apresenta um dos mais verticais mergulhos íntimos da contemporânea literatura brasileira e marca também a volta de Fabrício Carpinejar à poesia como quem nunca tivesse partido, sem deixar de ser ao mesmo tempo novo na acepção mais poderosa do termo, o novo quando audácia. Entre tantas manifestações do feminino, Carpinejar redescobre nos amores vividos o primeiro, enquanto busca por aquele que será o último.

Resenha:

Um livro sobre amores,dor de cotovelo e relacionamentos.
Bem ao jeitinho Carpinejar de ser,são poesias interligadas e sensíveis.
Gostei bastante,é um livro bem curtinho que da pra ler em horas.

16/08/2018

Moletom

  e arquivado em    


Em 'Moletom', Julio Azevedo — o jovem autor da página de mesmo nome do Facebook — mostra, por meio de uma narrativa envolvente e ilustrações poéticas, que não adianta tentar fugir dos problemas: eles nos perseguem até que os encaremos de frente. Seu protagonista, Pedro, está fugindo de algo. Ele acaba de chegar em uma nova cidade, onde ficará hospedado na casa da tia por algum tempo, e essa mudança representa para ele um recomeço, um escape de algo que está causando uma grande angústia. Assim que chega a esse novo ambiente, no entanto, ele conhece Lucas, um garoto que despertará exatamente os sentimentos que ele estava tentando evitar.






Resenha:

Um romance muito doce e recheado de poesia
Pedro é um menino que está passando pela dificuldade de lidar com sua sexualidade,como a grande maioria dos jovens que despertam e veem que são gays,ele tem passado por conflitos com sua família.
Até ir pra casa da sua tia ,dar um tempo pra si e para seus pais,ele encontra Lucas.
O menino da cafeteria que parece ser tão interessante e amável.
O livro segue com um romance lindo,inocente e cheio de descobertas.
O mais gostoso do livro é que ele tem ilustrações lindas,feitas pelo autor que  tem uma página no facebook com o mesmo nome do livro.
É um romance que merece ser lido.
Amo romances ,e esse é muito fofo.



PRA CIMA!