31/05/2018

Estamos Bem

  e arquivado em    

Marin deixou tudo para trás. A casa de seu avô, o sol da Califórnia, o corpo de Mabel e o último verão agora são fantasmas que ela não quer revisitar. O retrato de uma história em que já não se reconhece mais. Ninguém nunca soube o motivo de sua partida. Nada se sabe sobre a verdade devastadora que destruiu sua vida. 

Agora, ela vive em um alojamento vazio e está sozinha no inverno de Nova York. Marin está à espera da visita de sua melhor amiga e do inevitável confronto com o passado. As palavras que nunca foram ditas finalmente se farão presentes para tirá-la das profundezas de sua solidão.


Resenha

"O desconhecido é um lugar escuro.
É difícil se render a ele.
Mas acho que é onde moro a maior parte do tempo.Acho que é onde todos nós vivemos ,então talvez não precise ser tão solitário.
Talvez eu consiga me acomodar ,me aconchegar ,construir um lar na incerteza."

Marin,perdeu seu único parente...e com essa perda,ela descobriu muita coisa sobre sua vida e sua família.
Marin,morava perto do mar,e sua melhor amiga Mabel era seu porto seguro.
Depois dessa perda ,Marin deixa tudo e vai para uma universidade distante da sua cidade.
Ela começa a viver com a solidão constante,o luto e o isolamento.
Um dia ,perto do natal,Mabel avisa que vai chegar para visitar sua amiga.
Muitas coisas acontecem com essa visita,lembranças,saudades ...
Tudo muda ...
Esse livro é sobre  perda,luto e solidão.
É um livro maravilhosamente bem escrito,eu fiquei super encantada com todo o enredo .
Super recomendo esse livro .

25/05/2018

Rumi A Dança da Alma

  e arquivado em    

"Vem, lhe direi em segredo
aonde leva esta dança.



Vê como as partículas do ar
e os grãos de areia do deserto
giram desnorteados.



Cada átomo, feliz ou miserável, 
gira apaixonado em torno do sol.



Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Fechemos então a boca e conversemos através da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo a passo."



Jalal ud-Din Rumi foi um poeta e teólogo sufi que viveu na Anatólia (atual Turquia), no século XIII. Embora sua obra tenha sido escrita originalmente em persa, a importância de Rumi transcendeu fronteiras étnicas e nacionais. Seus poemas foram extensivamente traduzidos em várias das línguas do mundo e transpostos em vários formatos. Em 2007, Charles Haviland o descreveu como "o poeta mais popular da América" em artigo publicado no site da BBC. 



Ele não estava distante da verdade, em 2013 uma única página dedicada a Rumi no Facebook contava cerca de um milhão de seguidores. Apesar de pouco conhecido no Brasil, os livros com a poesia de Rumi são best-sellers nos EUA há décadas. Numa pesquisa na Amazon.com por "Rumi", encontramos mais de 5 mil resultados. E aqui no Brasil, as traduções de Rumi podem ser contadas nos dedos de uma só mão. Estou entrando nesta dança também para fazer justiça a este poeta tão magnífico, e tão pouco traduzido para o português.



Acompanham os poemas, selecionados e traduzidos por mim, meus comentários inspirados em sua luz grandiosa. Ao longo do livro, falo também sobre a vida de Rumi, e de seu encontro com Shams de Tabriz, o catalisador de toda a sua divina embriaguez no Amor...



Rafael Arrais


RESENHA
Um livro simplesmente maravilhoso!! Amo Rumi,e realmente em português  não tem muita coisa traduzida.
Achar esse livro na Amazon ,foi um tesouro.
Rumi ,é totalmente apaixonante.
Nos leva aos cantos mais sublimes da nossa alma e nos mantém conectados com a alma do mundo,onde descobrimos que tudo é uma coisa só.
Vale muito ler esse livro.
A todos admiradores de Rumi e de sua poesia,esse livro é um presente.

12/05/2018

Hippie

  e arquivado em    


“Quem quer aprender deve começar olhando à sua volta.” Em seu livro mais autobiográfico, Paulo Coelho nos leva a reviver o sonho transformador e pacifista da geração hippie. Paulo é um jovem que quer ser escritor, deixa os cabelos longos e sai pelo mundo à procura da liberdade e do significado mais profundo da existência. Uma jornada que vai desde a prisão como terrorista pela ditadura militar brasileira, em 1970, enquanto viajava pela América do Sul até o encontro com Karla, em Amsterdã; quando juntos resolvem ir até o Nepal no Magic Bus. No caminho, os companheiros que vivem uma extraordinária história de amor, também passam por transformações profundas e abraçam novos valores para suas vidas.




RESENHA:


Mais um livro maravilhoso do Paulo Coelho.
Me senti como na época que li diário de um mago.
O mesmo jeito maravilhoso de escrever um livro mais autobiográfico ,sem perder a magia e o encanto que só as mãos e a mente desse escritor possui.
Um livro que conta um pouco da aventura da viagem no Magic Bus,com várias pessoas e suas histórias de vida.
Aqui conhecemos um Paulo jovem,ainda no sonho de ser um grande escritor,um pouco da sua experiência no movimento Hippie ,seus sonhos,medos e amores.
Um livro que nos mostra como os pequenos e simples momentos da vida são importantes para o nosso crescimento.
Um livro que nos leva a pensar e avaliar se estamos realmente no caminho que sonhamos para nós.
Eu amei a leitura ,um livro gostoso de ler e muito rico.
Mas uma vez Paulo Coelho me deixa com uma ressaca literária das grandes.

11/05/2018

A Garota que Bebeu a Lua

  e arquivado em    



Uma fábula sobre aceitação, amor, amadurecimento e o poder da memória. Da autora de O Filho da Feiticeira, considerado o Livro do Ano pelo Washington Post.

Todo ano o povo do Protetorado deixa um bebê como oferenda para a Bruxa que vive na floresta, na esperança de que o sacrifício a impeça de aterrorizar sua pequena cidade protegida pelos muros e pela Torre das Irmãs da Guarda. Mas, Xan, a Bruxa na floresta, ao contrário do que eles acreditam, é bondosa. Ela vive em paz com um Monstro do Pântano muito inteligente e um Dragão Perfeitamente Minúsculo. 
Todo ano ela resgata o bebê deixado pelos Anciãos e o leva em segurança para uma família adotiva em uma das Cidades Livres do outro lado da floresta. Durante a longa viagem, quando a comida acaba, Xan alimenta os bebês com luz estelar. Em uma dessas ocasiões ela acidentalmente oferece a um deles a luz do luar, dotando a menininha de uma magia extraordinária. 
A bruxa então decide criar a menina “embruxada”, a quem chama de Luna. Conforme o aniversário de treze anos da menina se aproxima, sua magia começa a aflorar – e pode colocar em perigo a própria Luna e todos à sua volta.




Resenha:


" No início ,havia apenas o charco.E o charco cobria o mundo,e o charco era o mundo,e o mundo era o charco."

Existia um lugar chamado Protetorado ,onde existia uma lei:
Todos os anos um bebê deveria ser deixado na floresta para ser sacrificado pela bruxa que vivia no charco.
Anos a fio,os anciões do protetorado escolhiam um bebê ,e arrancavam dos braços de suas mães e levavam a floresta para que a bruxa o sacrificasse .
Em troca,eles teriam paz,boas colheitas e seriam poupados pela malvada bruxa.
Um dia levaram uma bela menina,que tinha uma lua como marca de nascença na testa.
Sua pobre mãe enlouqueceu ,assim como tantas outras mães ,e foi trancada na torre da irmandade ,comandada pela terrível irmã Ignácia.
Mas, também havia um rapaz chamado Antain ,que entrou jovem para o protetorado ,e levou aquela menina para o sacrifício .
Nada para Antain ,teve mais sentido após aquele dia,ele sentia tristeza pela sua atitude,e os anos que ainda passou no protetorado ,ele jamais levou outra criança. 
Nos dias de sacrifício ,ele sempre inventava uma doença, para não fazer parte de algo tão medonho.
Mas ,o que aconteceria de verdade com todas aquelas crianças ao longo desses anos todos de sacrifícios ?
Existia realmente uma bruxa má que as matavam ?
Ou tudo isso não passava de lenda,ou algo bem mais medonho ,para encobrir realmente algo terrível ?
O que mais gostei desse livro,é que ele faz você descobrir o verdadeiro mistério.
Além de de ser um livro encantador e meigo.
Dei boas risadas com o pequeno dragão Fyrian  ,e me encantei pela poesia do monstro Glerk.
Vale muito a pena ler esse livro tão lindo!
Eu nem sou muito fã de livros de fantasia,mas esse me tocou o coração.

06/05/2018

A Caçadora de Dragões (Iskari #1)

  e arquivado em    

Primeiro volume de uma trilogia fantástica, em que dragões e humanos estão em guerra — e cabe a uma garota matar todos eles. Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.

RESENHA:


Asha é uma caçadora de dragões ,passou sua vida toda os atraindo com suas histórias e assim os matando e levando suas cabeças ao seu Pai o Rei Dragão.
Asha é a ISKARI ,amaldiçoada ,aquela que trouxe desgraça para seu povo,e como penitência ,ela mata dragões e é temida por todos.
Gente,quando eu recebi esse livro do turista literário achei que realmente eu iria odiar .
Mas ,a cada página lida,eu queria mais e mais.
O livro é de uma fantasia maravilhosa,lembrei bastante da personagem Daenerys de guerra dos tronos,o cenário parecido,algo bem oriental,com desertos ,escravos e dragões.
O livro é uma surpresa atrás da outra , e a gente se surpreende a cada capítulo.
Eu já to maluca pra ler a continuação ,mas sei que vou ter que esperar bastante ainda.
Genteee,se puderem leiam sim esse livro,é muito bom.



PRA CIMA!